Construção da nova ponte de acesso ao Porto de Bilbau

Construção da nova ponte de acesso ao Porto de Bilbau

A construção de pontes sobre infraestruturas em funcionamento é geralmente um desafio. Para este projeto em Bilbau, o espaço reduzido para os trabalhos nas fundações, devido às linhas férreas operacionais, e a impossibilidade de desconstruir a estrada existente precipitaram uma solução de engenharia com agregado leve Leca®.

O aumento do volume das operações marítimas obrigou à melhoria do acesso ao porto de Bilbau com a construção de uma nova ponte para agilizar o trânsito de camiões. Tratou-se, no entanto, de um projeto de engenharia ambicioso, para o qual a consultora basca KREAN teve de encontrar uma solução capaz de ultrapassar diversos desafios.

O novo acesso ao porto de Bilbau, denominado ZAD 3, é uma ponte que liga a estrada N-644 ao porto sobre uma linha férrea. A ponte começa numa rotunda preexistente, que não foi possível eliminar ou alterar, dado o impacto que essa mudança teria no fluxo de bens ao porto através da linha férrea em funcionamento. Esta condicionante deixou muito pouco espaço para a construção das fundações necessárias para o primeiro pilar da ponte. Já o segundo pilar foi erguido sobre solo mole, típico das zonas portuárias, o que obrigou a equipa a encontrar uma solução geotécnica para reduzir a potencial sobrecarga gerada pelo enchimento do pilar. Segundo a equipa, o pilar número “1” representou, sem dúvida, o maior desafio de engenharia, dado que a sua construção não podia interferir ou interromper o tráfego ferroviário existente. Devido às restrições de espaço para os trabalhos foi preciso encontrar uma solução que usasse apenas equipamento pequeno e ágil para desenvolver as fundações dos pilares pré-fabricados com microestacas.

Esta tipologia estrutural exigiu uma solução em que o enchimento tivesse um efeito de redução na pressão vertical, o que foi possível enchendo o pilar com agregado leve Leca. O agregado também permitiu uma conclusão rápida (1700 m3  enchidos e compactados em três dias) e ainda uma redução do equipamento necessário. A carga reduzida que o agregado Leca exerce sobre o solo também significa que não requer qualquer tratamento além da remoção da vegetação existente, o que reduz os custos em termos de tempo e mão de obra necessários. A camada superior foi construída sobre este enchimento e foram realizados os habituais controlos de qualidade, como os valores de carga-assentamento, que registaram índices regulamentares exigidos para estradas com estas características. Neste pilar, foram construídas as vigas que compõem a ponte, criando estabilidade suficiente para suportar as cargas geradas durante a sua instalação. O enchimento do pilar número “2” também foi realizado com agregado Leca, o que permitiu, além da rápida conclusão, um controlo dos assentamentos futuros. Um aspeto muito importante nas estradas de acesso a portos é o facto de terem de suportar um tráfego intenso e consistente de camiões com cargas extremamente pesadas.

Do ponto de vista ambiental, também é importante considerar as vantagens associadas ao desenvolvimento deste tipo de infraestrutura leve. Essas vantagens incluem uma redução de emissões de CO2, bem como menor utilização de matérias-primas como o betão. Adicionalmente, as emissões geradas, graças ao número reduzido de camiões necessários para realizar a entrega do material, também são menores com o agregado Leca, pois este permite o transporte de um maior volume de material com um rácio CO2/m3  mais favorável.

Informações do projeto


Projeto: Ponte de acesso ao porto de Bilbau
Cliente: Porto de Bilbau
Engenharia: LKS Krean
Empreiteiro: Ute Acceso Zad3
Produtos utilizados: 3200 m3 de agregado Leca 10/20 mm.