Estádio Wanda Metropolitano, Madrid

Enchimento ligeiro sobre estação de metro, nos acessos ao estádio.



estadio Wanda Metropolitano

 

Os acessos a um estádio de futebol, onde a cada fim de semana podem circular mais de 72.000 pessoas, devem ser projetados com especial cuidado para que não surjam problemas, tanto de assentamentos como de durabilidade. Se a isto se acrescentar que devem atravessar antigas infraestruturas enterradas, como as do metropolitano, a dificuldade é redobrada. 

 

Foi este o caso do estádio de futebol onde o Atlético de Madrid joga, o Wanda Metropolitano (Madrid, Espanha). O projeto desenvolvido pela empresa espanhola FCC para a Cidade de Madrid na urbanização perto do Estádio Metropolitano de Wanda exigiu a construção de novos acessos, os quais atravessariam os túneis e a estação de metropolitano.
Essas infraestruturas enterradas estavam projetadas para suportar cargas menores na sua superfície mas, após o novo projeto, descobriu-se que a segurança delas poderia ficar comprometida.

 

A aplicação de um enchimento leve com uma espessura entre 500 e 600 mm, constituído por Geo Leca®  com uma densidade após compactação de 400 kg/m3, em comparação com os 2.000 kg/m3 que teria um agregado convencional, permitiu reduzir as sobrecargas em mais de 40%. Além disso, a opção pela Geo Leca® significou uma redução de 87 camiões a circularem nas estradas, uma vez que foram necessários apenas 19 camiões para transportar os 1.270 m3 em causa quando, se se tratasse de agregados normais, seriam necessários 106 camiões. Por isso, a redução de libertação de CO2 na atmosfera foi significativa.

O volume de 1.270 m3 foi fornecido e colocado em 5 dias, permitindo a conclusão da obra a tempo do início das competições da Liga Espanhola e da Liga dos Campeões.

Dono-de-obra: Ayuntamiento de Madrid.
Construtor: FCC Construcción S.A.
Volume fornecido: 1.270 m3